Indústria sensível à eficiência energética

Sustentabilidade

Indústria sensível à eficiência energética

25/01/2017 |

Está concluído o primeiro relatório comparativo entre as especificidades técnicas dos “Regimes de Obrigação de Eficiência Energética” e medidas alternativas para a implementação da Diretiva de Eficiência Energética (Diretiva 2012/27/EU). O trabalho foi desenvolvido no âmbito do Projeto Comunitário “EU-MERCI”, do qual a FIPA é parceira, e permitiu analisar as principais medidas aplicadas nos 29 Estados-Membros, com especial incidência na diferença de políticas e no tipo de regimes adotados.

Verifica-se que, até à data, apenas 16 Estados-Membros introduziram os Regimes para o setor industrial, por vezes combinados com outros tipos de medidas (por exemplo, medidas fiscais, prescritivas ou baseadas em estratégias de informação e formação).

A análise efetuada centrou-se nos requisitos dos diferentes Regimes, nos métodos declarados para os cálculos de poupança de energia e nas abordagens de monitorização da eficiência energética. Estes são elementos importantes porque representam aspetos críticos dos incentivos e do apoio financeiro. De facto, 19 Estados-Membros adotaram medidas relativas a estes subsídios. Contudo, verificou-se que os métodos para a determinação e comunicação das poupanças de energia e dos requisitos de verificação e supervisão são muito diferentes nos vários Estados-Membros.

Este Relatório é a primeira publicação do projeto EU-MERCI - dedicado a boas práticas de eficiência energética no setor industrial - estando previstos novos resultados, agora centrados nas medidas implementadas e nos obstáculos enfrentados pelas empresas do setor industrial a nível europeu. Será ainda lançada uma base de dados sobre boas práticas industriais, que permitirá mostrar as medidas implementadas pelas empresas europeias nos últimos anos.

Em 2017, muitos eventos (workshops e webinars) a nível europeu apresentarão os resultados obtidos pelo projeto e fornecerão às empresas a informação sobre como aproveitar as oportunidades disponíveis.

Outro dos objetivos é avaliar através de questionários, a sensibilidade das médias e grandes empresas para a eficiência energética, as abordagens seguidas para as medidas de eficiência energética e as barreiras à sua implementação. Os resultados preliminares mostram que a maioria das empresas que já responderam utilizam indicadores de desempenho energético e possuem um gestor de energia, denotando assim uma sensibilidade madura às questões da eficiência energética.

Além disso, quase todos realizaram auditorias energéticas e são certificados com a ISO 50001. Cerca de 90% aplicaram medidas de eficiência energética nos últimos cinco anos, aumentando a sua credibilidade e competitividade no mercado. Fica, de certa forma, demonstrado que o custo do investimento é um dos maiores obstáculos à disseminação da eficiência energética.

O Projeto EU-MERCI, financiado pelo programa Horizonte 2020, tem como objetivo criar as condições para facilitar o desenvolvimento e a difusão de projetos de eficiência energética na indústria a nível europeu. O projeto incentiva o fornecimento de esquemas de apoio mais efetivos, considerando o disposto no Artigo 7º da Diretiva 2012/27/UE relativo aos Regimes de obrigação de eficiência energética.

Os parceiros deste projeto são: Ricerca sul Sistema Energetico, Itália (RSE); JIN Climate and Sustainability, Holanda (JIN); Center for Renewable Energy Sources and Saving, Grécia (CRES); Polish National Energy Conservation Agency, Polónia (KAPE); Austrian Energy Agency, Áustria (AEA); Italian Federation for energy efficiency, Itália (FIRE); Carbon Trust, Reino Unido (Carbon Trust); Black Sea Energy Research Centre, Bulgária (BSERC); Energy Restructuring Agency, Eslovénia (ApE); Spread European Safety SPES GEIE (SPES) - consórcio que inclui a FIPA; Centre for the Promotion of Clean and Efficient Energy in Romania, Roménia (ENERO). O UE-MERCI é apoiado por várias organizações governamentais, institucionais, industriais, ambientais e mundiais de utilizadores finais de energia.

O Relatório completo está disponível no website www.eumerci.eu.

FIPA NOTÍCIAS