Competitividade

Arroz europeu mais protegido

17/01/2019 |

A Comissão Europeia realizou um inquérito formal sobre as das importações de arroz Indica provenientes do Camboja e de Mianmar que teve origem num pedido inicial de instituição de medidas de salvaguarda sobre as importações. Este pedido foi apresentado pelo governo italiano em fevereiro de 2018, com o apoio de todos os outros Estados-Membros produtores de arroz (Espanha, França, Portugal, Grécia, Hungria, Roménia e Bulgária).

Este inquérito concluiu que as importações de arroz Indica provenientes de ambos os países aumentaram 89 % nas cinco últimas campanhas de comercialização e que os preços não só foram substancialmente inferiores aos praticados no mercado da União Europeia (UE) como tinham mesmo diminuído nesse período. Este aumento súbito das importações a preços reduzidos causou graves dificuldades aos produtores de arroz da UE, levando a uma queda considerável da sua parte de mercado na UE, que passou de 61 % para 29 %.

Por este motivo, a Comissão Europeia decidiu reintroduzir direitos de importação, que serão gradualmente reduzidos durante um período de três anos.

De acordo com a decisão da Comissão, a UE vai reinstituir o direito aduaneiro normal aplicável a este produto, que ascenderá a 175 EUR por tonelada no primeiro ano e será gradualmente reduzido para 150 EUR por tonelada no segundo ano e 125 EUR por tonelada no terceiro.

FIPA NOTÍCIAS

Remova aqui o seu email