Competitividade

Atraso na negociação do Brexit preocupa empresas

28/09/2020 |

A CIP – Confederação Empresarial de Portugal, confederação da qual a FIPA faz parte, manifestou a sua preocupação pelo atraso na negociação de um acordo sobre as relações futuras entre o Reino Unido e a União Europeia, sublinhando que este impasse coloca as empresas perante riscos acrescidos num momento de maior fragilidade.

Em comunicado, o presidente da CIP, António Saraiva, afirmou que esta entidade “tem vindo a sublinhar, desde o início deste processo, a importância para as empresas de se chegar a um acordo razoável que permita proteger as relações comerciais entre a União Europeia e o Reino Unido”. “Consideramos que ainda é possível chegar a um acordo razoável, em tempo útil, mas é necessária vontade política para que esse objetivo seja alcançado”, acrescenta.

O estudo “Brexit: As Consequências para a Economia e para as Empresas Portuguesas”, promovido pela CIP em 2018, concluiu que o Brexit terá um efeito negativo de 15% nas exportações portuguesas para o Reino Unido, mas que as perdas potenciais poderão chegar aos 26%, num cenário mais negativo, em que não exista acordo entre Reino Unido e União Europeia. É estimado um impacto negativo entre 0,5% e 1% no PIB português.

“As empresas e as economias estão já a enfrentar o impacto devastador da pandemia de covid-19 e não podem ser sobrecarregadas com mais uma situação que terá custos muito elevados”, afirma António Saraiva.

A CIP e a BusinessEurope acreditam que é ainda possível alcançar um acordo que mantenha o essencial das relações comerciais, salvaguardando a igualdade de condições, mas que, para isso, é fundamental respeitar os compromissos anteriormente assumidos, para que exista confianças entre as partes.

FIPA NOTÍCIAS

Remova aqui o seu email