Competitividade

CIP propõe medidas de retoma

20/07/2021 |

O Conselho do Comércio, Serviços e Consumo da CIP - Confederação Empresarial de Portugal  apresentou, face ao atual quadro e impacto da crise pandémica, um conjunto de cinco medidas pela “sobrevivência das empresas do setor do comércio e serviços” e promoção da retoma económica.

Em comunicado, este órgão da CIP sublinha que “as perspetivas de recuperação económica para o ano de 2021, nomeadamente no que se refere aos meses de verão, estão seriamente comprometidas, o que é dramático para as empresas ligadas ao setor do turismo, restauração e comércio, que se sentem asfixiadas”.

Sustentando que “em termos de saúde pública, a situação atual não tem a gravidade das fases anteriores da pandemia” e que “é uma evidência que a vacinação tem impacto positivo quer em termos de combate à pandemia quer em termos de saúde pública”, defende que o Governo, ao definir as medidas de desconfinamento, terá que ter em consideração os efeitos da vacinação, caso contrário os esforços de todos nós serão em vão e com enormes custos económicos e sociais.

Face a esta situação, o Conselho do Comércio, Serviços e Consumo da CIP propõe as seguintes medidas:

  • Medida 1. Reajustamento da matriz de risco, para que passe a considerar o impacto da vacinação na evolução da situação pandémica em cada momento, nomeadamente em termos de letalidade e pressão sobre o sistema de saúde.
  • Medida 2. Levantamento das restrições aos horários de encerramento dos estabelecimentos e circulação das pessoas, o que contribui também para uma maior dispersão das pessoas e um maior distanciamento social.
  • Medida 3. Eliminação da testagem obrigatória para entrada nos espaços de restauração, sobretudo por ser de difícil aplicabilidade, levantar questões em termos de validação e certificação dos resultados dos testes e ser contrária a normas legais relativas ao local de aquisição e realização dos autotestes.
  • Medida 4. Revisão do conceito e das condições em que se aplica o isolamento profilático, nomeadamente por se verificarem situações em que o isolamento profilático é aplicado a pessoas que já têm a vacinação completa, tendo este tipo de atuação um impacto negativo ao nível da credibilidade das vacinas.
  • Medida 5. Eliminação – ou, no mínimo, o aumento – do rácio de concentração de pessoas por m2 em espaços comerciais.

FIPA NOTÍCIAS

Remova aqui o seu email