Competitividade

Da Europa para o mundo

26/10/2020 |

O futuro das políticas de comércio internacional estão cada vez mais no centro das reflexões económicas, quer por causa do impacto direto da pandemia COVID-19 quer por alterações de natureza geopolíticas, como o caso do Brexit.

Ancorada neste tema, e no seguimento de uma consulta pública lançada pela Comissão Europeia, a FoodDrinkEurope divulgou recentemente a sua posição e recomendações sobre a futura política comercial da União Europeia (UE).

A confederação europeia sublinha que esta política deve permitir melhores condições de acesso a mercados tradicionais e emergentes, fortalecer a implementação e cumprimento de acordos comerciais e contribuir, em simultâneo, para o desenvolvimento sustentável económico, ambiental e social.

A FoodDrinkEurope defende que, por exemplo, a rede europeia de Acordos de Comércio Livre e regras bem definidas para as transações internacionais vêm permitir ao setor dos alimentos e bebidas grandes oportunidades de internacionalização, expansão e investimento, trazendo como benefícios elevados graus de previsibilidade e estabilidade legal.

Este cenário de estabilidade torna-se especialmente importante no contexto de um setor que tem um papel de relevo não só dentro das fronteiras europeias, mas também na vasta rede económica mundial. De facto, segundo os dados divulgados pela FoodDrinkEurope, a UE é o primeiro exportador e o segundo importador de alimentos e bebidas em todo o mundo; em 2019, as exportações destes produtos atingiram o valor de € 120 bilhões para mais de 200 mercados; e uma em cada dez empresas de alimentos e bebidas da UE exporta para fora da UE (> 22.000 empresas), sendo 91% são PME.

FIPA NOTÍCIAS

Remova aqui o seu email