Competitividade

Exportações travam em 2020

11/02/2021 |

As exportações de produtos alimentares e bebidas registaram um crescimento de 0,25% em 2020, quando comparado com o ano de 2019, de acordo com os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), analisados pela FIPA, que alerta que este desempenho não anula o impacto da instabilidade sentida no mercado interno.

Para este desempenho das exportações contribuíram os mercados extra-União Europeia, que cresceram mais de 15,47%, estando, em sentido contrário, as exportações para a União Europeia que registaram uma quebra na ordem dos 7,67%. No que diz respeito às importações, foi registado um decréscimo de 7,32%, que veio refletir-se numa diminuição próxima dos 564 milhões de euros no défice da balança comercial.

“Apesar das exportações terem sido fundamentais num ano marcado por grandes incertezas, o crescimento foi ténue. Não pode, por isso, ser interpretado como solução estrutural para fazer face às dificuldades sentidas pela indústria agroalimentar, composta na sua maioria por micro, pequenas e médias empresas. Muitas delas somam às dificuldades de tesouraria decorrentes da quebra de consumo, custos elevados com medidas de contenção sanitária e testagem em larga escala para os quais não têm tido qualquer apoio e que são essenciais para um setor que não pode parar“, sublinha Jorge Tomás Henriques, presidente da FIPA.

“De acrescentar que apesar do INE já ter previsto um aumento de 2,5% das exportações de produtos alimentares e bebidas em 2021, é importante continuarmos atentos aos resultados e às tendências e comportamentos das economias mundiais, sendo por isso relevante que Portugal e a Europa definam políticas que priorizem o bom funcionamento dos mercados e a facilitação das trocas comerciais”, acrescenta Jorge Tomás Henriques.

FIPA NOTÍCIAS

Remova aqui o seu email