Competitividade

Portugal na UE para debater PAC

21/07/2020 |

O Conselho de Agricultura e Pescas da União Europeia (UE) reuniu-se, no dia 20 de julho, para debater a reforma da Política Agrícola Comum (PAC), à luz do Pacto Ecológico Europeu e da Estratégia “Do Prado ao Prato”, naquela que foi a primeira sessão de debate sob a Presidência alemã do Conselho da EU.

No final da manhã, a Ministra da Agricultura portuguesa, Maria do Céu Albuquerque, falou à imprensa numa conferência conjunta com as homólogas alemã e eslovena, que fazem parte do “Trio de Presidências”, composto pela atual e pelos dois países que assumirão o Conselho Europeu em 2021.

Na ocasião, a Ministra portuguesa destacou que “o setor agrícola e as cadeias de abastecimento agroalimentar foram capazes de responder a uma situação claramente excecional onde não houve dificuldade em dar resposta às necessidades alimentares das populações europeias”.

Maria do Céu Albuquerque sublinhou  que “olhando agora para o futuro um dos desafios será a conclusão da negociação da Política Agrícola Comum para o pós 2020, que provavelmente será irá prolongar para a Presidência portuguesa” e realçou que consideram de “maior importância que haja uma interligação entre a discussão da futura PAC e do Pacto Ecológico Europeu, em particular através das estratégias do ‘Prado ao Prato’ e  da ‘Biodiversidade’”.

Na reunião, que decorreu durante a manhã, a Ministra portuguesa havia já declarado que “Portugal considera que só é possível a avaliação adequada das prioridades e das metas prevista para a Estratégia ‘Do Prado ao Prato’, se forem disponibilizadas pela Comissão as avaliações de impacto que permitam aferir as eventuais conflitualidades entre os três eixos da sustentabilidade económico, ambiental e social”.

Em antecipação a este encontro do  Conselho Europeu de Agricultura e Pescas, a FIPA partilhou com a  Ministra da Agricultura a sua posição sobre a estratégia, dando nota de que acredita que representa uma oportunidade única de desenvolver uma política alimentar abrangente na União Europeia e que, acima de tudo, vem reforçar o importante contributo da indústria agroalimentar no crescimento sustentável, que se tornará cada vez mais prioritário perante os impactos da pandemia COVID-19.

FIPA NOTÍCIAS

Remova aqui o seu email