Inovação

Biotecnologia pela sustentabilidade

08/06/2021 |

O recurso à biotecnologia, nomeadamente as novas técnicas genómicas, deve ser uma das principais ferramentas de todo os intervenientes da cadeia de na construção de sistemas alimentares mais sustentáveis. Esta foi uma das ideias defendidas por Pedro Queiroz, Diretor-Geral da FIPA, num webinar dedicado ao tema, promovido pela CAP - Confederação dos Agricultores de Portugal e a P-BIO.

Mais do que uma questão relacionada com o desenvolvimento e investigação científica, a utilização destas tecnologias deve ser analisada numa perspetiva de mercado e do ponto de vista do que o consumidor exige, hoje, em termos do valor nutricional dos alimentos, do sabor e da experiência que estes proporcionam, da sua relação com a sustentabilidade e ética e da comodidade e acesso, defendeu o representante da FIPA.

Pedro Queiroz sublinhou que o potencial que estas tecnologias geram na cadeia de valor permite não só responder melhor ao mercado, mas também trabalhar na origem e na matéria-prima dos alimentos, podendo vir a conferir-lhes, por exemplo, novas características nutricionais, maior resistência aos fatores naturais e maior durabilidade.

Contudo, a FIPA abordou também o impacto negativo da demora nas discussões políticas e legislativas - que estão a acontecer, sobretudo, no contexto nível europeu no cumprimento dos objetivos inscritos na estratégia “Do Prado ao Prato”.

Neste sentido, Pedro Queiroz alertou que “se na Europa não percebemos que a base de todas as ambições na área dos sistemas alimentares sustentáveis está na tecnologia, o que vamos continuar a ter são apenas objetivos”, comprometendo, inclusive, a competitividade europeia e, acima de tudo, das empresas da cadeia alimentar.

O webinar completo pode ser revisto aqui.

FIPA NOTÍCIAS

Remova aqui o seu email