Inovação

Ecoinovar na alimentação

15/02/2018 |

Estão abertas as candidaturas para a 2ª Edição do Prémio Ecotrophelia Portugal, uma competição coorganizada pela FIPA – Federação das Indústrias Portuguesas AgroAlimentares e pela PortugalFoods, que promove a inovação do meio académico no setor agroalimentar. Os estudantes do ensino superior têm até dia 13 de abril para submeter os seus projetos, habilitando-se a prémios monetários e a representar Portugal no ECOTROPHELIA Europa.

Nas próximas semanas, a organização promove um roadshow por diversas instituições de ensino superior em todo o país, para sensibilizar estudantes e docentes dando a conhecer toda a informação sobre a competição e como participar. O périplo começa hoje, dia 15, na Universidade do Algarve (16h00), seguindo-se o Instituto Politécnico de Viana do Castelo, a Universidade de Coimbra, a Universidade de Évora e o Instituto Superior de Agronomia.

O Prémio Ecotrophelia destina-se a grupos de alunos de licenciatura, pós-graduação e/ou mestrado, de dois a dez elementos com idade inferior a 35 anos. Os estudantes devem desenvolver um produto alimentar eco-inovador, tendo em conta critérios como as propriedades nutricionais e organoléticas (como sabor, cor e aroma), o seu potencial e relevância comercial bem como a viabilidade industrial.

Segundo o Presidente da PortugalFoods, Amândio Santos, “este prémio tem como principal vantagem juntar estudantes, professores e profissionais do setor em torno de um objetivo muito próprio, que são os produtos eco-inovadores”, contribuindo para a criação de “profissionais do futuro muito bem preparados para as questões que hoje são fundamentais no agroalimentar relacionadas com a sustentabilidade”, afirma, realçando que o prémio valoriza a criatividade, mas também a viabilidade comercial. Na mesma linha, o Diretor-Geral da FIPA, Pedro Queiroz, sublinha o “estímulo à inovação nas universidades” que vão formar os futuros profissionais: “entendemos que estamos a criar uma incubadora de futuros profissionais e de preferência ainda mais criativos e inovadores que os atuais”, afirma.

O Prémio Ecotrophelia Portugal realiza-se em duas fases. A primeira fase compreende uma ronda nacional em que os estudantes submetem a candidatura do seu projeto. O Comité de Pré-Seleção elege 10 finalistas, sendo estes posteriormente alvo de avaliação por um painel de personalidades do setor, numa competição marcada para 24 e 25 de maio. Os três melhores classificados recebem prémios no valor de 2.000€, 1.000€ e 500€, respetivamente. A segunda fase contará com a participação do vencedor português no ECOTROPHELIA Europa em representação de Portugal, que terá lugar em outubro na SIAL Paris.

A competição nacional do Prémio Ecotrophelia Portugal realizou-se pela primeira vez em 2017, com 16 projetos candidatos, dos quais 11 projetos finalistas, e envolveu mais de uma centena de estudantes e mais de 50 professores e investigadores de 14 instituições de ensino superior. O projeto vencedor – Salamar, Salame do mar, uma alternativa saudável à charcutaria Portuguesa, constituído por peixe capturado nas águas frias do Atlântico e por legumes frescos – do grupo As Vianenses, representou Portugal na competição europeia em Londres, e competiu com mais 15 países.

FIPA NOTÍCIAS

Remova aqui o seu email