Sustentabilidade

Sustentabilidade. Sim, mas como?

08/02/2021 |

A aposta em políticas de sustentabilidade globais e transversais a toda a cadeia de valor é o caminho mais adequado para a sua eficiência, mas é importante que sejam considerados os impactos profundos que poderão vir a trazer, defendeu o Diretor-Geral da FIPA, Pedro Queiroz, na mesa-redonda dedicada ao tema “From farm to fork”, integrada na cerimónia do Prémio Inovação CA 2020.

“A dinâmica da sustentabilidade vai ter um impacto profundo na própria estrutura das empresas, na oferta de produtos no mercado e na demanda por parte do consumidor”, sublinha o responsável, que alertou que “esta aposta não pode ser algo, que ‘no final do dia’, venha trazer custos, barreiras e constrangimentos às empresas, com os respetivos reflexos nos custos dos produtos”.

Neste sentido, o Diretor-Geral da FIPA, sublinhou ainda que tem existido uma grande tendência em legislar em matéria de sustentabilidade, sem que haja uma verdadeira ponderação sobre os seus reflexos no produto final, afirmando que “podemos correr o risco de tornar a alimentação sustentável, uma alimentação elitista”.

Pedro Queiroz defende que “o equilíbrio apenas se encontra se tudo isto for visto de uma forma integrada em termos da cadeia de valor”, deixando um desafio ao Governo: “o agroalimentar tem um potencial tão grande para a competitividade do país, que deveria, por isso, estar representado numa Secretária de Estado própria, capaz de agregar todos os desafios e objetivos relacionados com o setor”.

FIPA NOTÍCIAS

Remova aqui o seu email